A importância da ABTI para as transportadoras que entregam para fora do Brasil



Fundada em 20 de setembro de 1973, na cidade do Rio de Janeiro, a Associação Brasileira de Transportadores Internacionais (ABTI) foi criada com o intuito de defender os interesses dos empresários do setor, além da busca pela facilitação e desburocratização dos processos que envolvem o transporte internacional.


Ao longo desses 48 anos de existência, a Associação evidenciou cada vez mais sua importância para o segmento. Prova disso, foram os diversos acordos e convênios de cooperação assinados com órgãos federais, como Ministério do Transporte, Receita Federal e a Agência Nacional de Transportes Terrestres, e internacionais, como a Associação Latino-Americana de Integração (ALADI), além de atuar em conjunto com o Conselho Empresarial do Transporte Rodoviário de Cargas do Mercosul, Bolívia e Chile (CONDESUL).


Vale destacar também, a transição da sede da ABTI para Uruguaiana, em 1996, devido a cidade fazer fronteira com Argentina e Uruguai, o que é um fator estratégico e referencial para o transporte rodoviário internacional de cargas.


E diante disso tudo, em um relacionamento com a associação que já vem de meu pai, diretor no passado, também passei a integrar a diretoria, em 2019. Desde esse período pude presenciar a seriedade do trabalho realizado. Tendo atuado junto com a nossa Diretora Executiva, Gladys Vinci, nas principais reuniões bi laterais, como ATIT e SGT5, e da participação nos encontros do CONDESUL.


Além de diretor, como presidente da ABC Cargas, pude presenciar a atuação da Associação através dos olhos de um transportador internacional, justamente a categoria defendida por ela, e vivenciar todos os serviços prestados, como consultoria e assessoria técnica especializada, acolhimento em casos de problemas, sempre agindo empenhada em buscar soluções rápidas e eficientes para eventuais problemas.


E ainda, a entidade participa regularmente de reuniões com os organismos intervenientes e autoridades governamentais e políticas, estreitando a relação com os órgãos responsáveis pelas legislações e fiscalizações do setor, com o intuito de fomentar uma atividade regulamentada e conscientizar sobre os gargalos e entraves enfrentados.


É importante ressaltar também sua atuação durante a pandemia, devido as nações tomarem medidas de combate à covid de forma não unificada, problemas de natureza burocráticas surgiram, afetando a todos, os motoristas, as transportadoras, a sociedade. Diante disso, a ABTI em conjunto com agências federais e entidades internacionais, promoveu reuniões, e buscou soluções para esses conflitos.


Apontado tudo isso, fica nítido o porque a Associação Brasileira de Transportadores Internacionais se consolidou como referência de instituição defensora dessa modalidade de transporte.


Danilo Guedes, Presidente do ABC Cargas

0 comentário