A importância do agronegócio para a economia brasileira


O agronegócio é o segmento da economia que, seja em tempos de bonança ou aperto, continua sempre a apresentar resultados positivos. Como podemos explicar o fato de que este segmento continua impulsionando a economia do Brasil, mesmo em momentos de crise?


É simples: a importância da agricultura brasileira ultrapassa as divisas do país e é objeto de interesse mundial. Por exemplo; a linha de soja (cuja safra acabamos de encerrar em níveis recordes) gera o óleo de soja e farelo para alimentação de animais. Frangos, porcos e gado são alimentados por insumos do grão e depois enviados para grande parte do mundo, fazendo girar o comercio global.


O agronegócio e o TRC sempre andaram de mãos dadas. No agro, há sempre um caminhão envolvido; do transporte de calcário para o preparo da terra, da plantação à colheita e, é claro, no transporte de maquinário e produtos colhidos. Como a maior parte da produção se concentra no interior do país, o alinhamento com o setor de transportes é fundamental para garantir que nossos produtos cheguem aos portos e fronteiras.


Atualmente no Brasil, a maior parte do transporte se dá pelo modal rodoviário, o que, mesmo com todas as dificuldades, oferece uma oportunidade única ao TRC. Como o país é um grande player na exportação de grãos (só no ano passado foram 251 milhões de toneladas movimentadas), a preocupação com as especificidades logísticas deste tipo de armazenagem também se torna fundamental.


A tendência entre o empresariado é de maior investimento em inovações tecnológicas, que enxergamos como algo essencial para a redução da burocracia e agilização do processo de transporte. Como a agricultura é o carro chefe de nossa economia, aumentar a competitividade deste setor é essencial e é natural que esta preocupação se reflita no TRC.


A expectativa para o ano de 2021 é também de produção recorde, em especial para a safra do milho. Esta crescente na produtividade faz com que a carga final se torne cada vez maior para o transportador, e que com isto, cresçam também as exigências do mercado. Para garantir nosso papel no setor, é necessário que continuemos a montar um TRC cada vez mais capaz, eficiente e conectado com o agronegócio brasileiro.


Diego Nazari, Diretor de desenvolvimento de negócios

0 comentário