A importância do transporte de cargas para a economia brasileira


Segundo o levantamento de custos logístico da Fundação Dom Cabral em 2018, o setor rodoviário é responsável por 60% das cargas transportadas no Brasil e 75% das produções brasileiras passam pela malha rodoviária. Esses números por si só já demonstram o tamanho da importância do transporte rodoviário na economia Brasileira.


Com nossa malha ferroviária pouco desenvolvida, fica a cargo do modal rodoviário abastecer o País não só nas rotas curtas, como nas rotas longas. Ficou claro isso na última grande greve dos caminhoneiros que já nos primeiros dias deixou cidades desabastecidas e algumas até em estado crítico.


A maior vantagem é a facilidade para organizar a logística, principalmente porque são raras as exceções de lugares onde o veículo rodoviário não consegue chegar, diferente de outros modais onde a regra geralmente é a mercadoria ir ao encontro do modal. Soma-se a isso a facilidade em encontrar veículos disponíveis, já que de longe, a maior oferta que temos quando se fala em transporte de cargas é de veículos rodoviários.


Outra grande vantagem é a possibilidade de fazer o transporte de ponta a ponta sem movimentação da carga, ou com uma movimentação muito menor, isso reduz o risco de avarias. Isso tudo acaba impactando na maioria dos casos em um tempo menor e mais preciso de trânsito facilitando o controle de toda a cadeia.


Com o conceito das grandes indústrias de trabalhar com pouco estoque, replicado pelos pequenos comércios, que hoje estão acostumados com a facilidade e garantia de entregas rápidas, fica claro que a base disso tudo é o transporte rodoviário, sem ele retrocederemos nesse conceito. Considero que hoje o maior benefício que a logística bem desenhada e desenvolvida trás é essa possibilidade de ter alimentos, remédios e insumos em geral mais recentes, exigindo cada vez menos estoque dos comerciantes e grandes indústrias, evitando desperdícios de espaço e matéria prima.


Com a pandemia causada pela Covid-19 acredito que o setor transportador foi um dos menos afetados, isso porque está ligado diretamente ao setor agrícola que teve uma das melhores safras dos últimos tempos somado ao aumento absurdo no consumo via internet e aplicativos.


Vale ressaltar que os motoristas profissionais estão na linha de frente e é altamente importante que a vacinação desses trabalhadores seja prioridade por se tratar de um trabalho essencial.


André Rufatto, Sócio-Administrador da Rufatto Transportes

0 comentário