top of page

Atitudes positivas que adquiri durante minha trajetória profissional



Passamos grande parte da nossa vida trabalhando, produzindo e buscando resultados positivos em nossa atividade profissional. Todo este ciclo pode ser virtuoso ou vicioso. Nossas escolhas e decisões nos conduzem a um ou a outro.


Não tenho por que esconder, pois assim como ocorre com a grande maioria, se não a unanimidade das pessoas, passamos por momentos difíceis, desafiadores e algumas vezes, desmotivantes. Mas tudo isso faz parte do processo, um projeto de aprendizado, conhecimento e desenvolvimento.


Durante minha jornada profissional, que se iniciou aos meus 16 anos na empresa pertencente a minha família, pude perceber que ali seria um ambiente totalmente diferente do conforto da minha casa. No trabalho temos que lidar com pessoas diferentes, de culturas diferentes, hábitos diferentes e intenções diferentes. Ali aprendemos fazendo, colocando a mão na massa e experimentando a realização de atividades diversas.


Deste modo, quem se propõe a aprender, desenvolve habilidades e atitudes que nos permitem crescer, pessoal e profissionalmente. Isso tudo nos credencia a nos candidatar, almejar e alcançar cargos e funções de maior responsabilidade e complexidade.


Sempre convivi com pessoas que me ajudaram muito no meu crescimento, por isso posso aqui relatar algumas atitudes que adquiri observando e me aliando às pessoas certas, honestas, éticas e com os mesmos propósitos que os meus.


A primeira é ser humilde, não ter medo ou vergonha de dizer “não sei”, “não entendi”, “me explica o que é isso e como se faz?”, “repete, por favor?”. Esse pequeno gesto faz toda diferença, traz as pessoas para perto e faz com que você tenha empatia, uma competência essencial para qualquer líder. Entender, aprender e realizar tarefas junto com seus colegas te faz enxergar o ambiente empresarial de outra forma, te possibilita ter visão ampla e completa da empresa e te permite avaliar cada etapa do processo de trabalho executado. Só assim você se tornará apto para tomar as decisões de forma mais correta e com menor impacto negativo no ambiente de trabalho.


Outras atitudes são a agilidade e a velocidade na tomada de decisões. A máxima “tempo é dinheiro” é verdadeira, mas para mim “tempo é sagrado” no mundo empresarial, pois decisões tomadas fora do tempo certo causam desavenças, prejuízos, desperdícios e podem significar seu distanciamento do mercado. Aprendi a não “empurrar os problemas com a barriga” como comumente se diz, porque as pessoas esperam que você tome uma decisão, elas aguardam sua resposta a algo e seu direcionamento, sem o qual, elas navegam à deriva.


Complementando a agilidade está o momento certo de fazer colocações e solicitar aprovação de um projeto ou uma ideia. Aprendi que há momentos para tudo e é preciso saber quando ele lhe é mais favorável, aumentando suas chances de obter o consentimento ou a aprovação desejada. Minha ansiedade nata e minha impulsividade já me colocaram em situações difíceis e aprendi com o tempo a controlá-las.


Outra atitude é saber ouvir as pessoas, por mais corrido e por mais complexo que seja nosso dia, temos que trabalhar de “portas sempre abertas”, ser um elo de confiança, um apoio e um canal constante de comunicação com nossos liderados e com a equipe como um todo. Mas aqui cabe um alerta, o saber ouvir precisa ser genuíno, sincero e com propósito, caso contrário, não funciona e pode se tornar seu pior inimigo na busca de um ambiente de trabalho adequado e saudável. Atitudes como usar o celular ou não sair do computador enquanto as pessoas falam com você devem ser completamente eliminados. O olho no olho é fundamental.


Por fim, cito a liberdade e autonomia da equipe, ou seja, a ação de descentralizar. Não há outro caminho para a criatividade e inovação empresarial, cruciais nos dias atuais para a perenidade dos nossos negócios, do que você dar liberdade de pensamento e de atuação, assim como autonomia para tomada de decisões. Até o erro calculado, ocorrido em ambiente aberto e de aprendizado, se torna um aliado saudável para o desenvolvimento constante da empresa. Só aprendemos fazendo, errando e consertando, este é um ciclo virtuoso que devemos perseguir de forma incansável em nosso dia a dia de trabalho.


Acredito piamente que boas atitudes podem ser adquiridas e aprendidas, todos podem fazê-las. Não há nada que não possamos aprender, se assim desejarmos. Mudanças são necessárias para nosso amadurecimento. Já aprendi muito e continuo aprendendo todo dia, observando boas condutas para me inspirar e me conduzir, assim como observando péssimas atitudes, das quais me afasto e jamais serei capaz de repetir.


E você, quais atitudes positivas já aprendeu durante sua jornada profissional?


Ana Jarrouge, Presidente Executiva do SETCESP

0 comentário

Commenti


bottom of page