Campeonato Paranaense de Skate Street Amador: retrospectiva e aprendizados de gestão


Fala-se muito sobre a importância de um mindset confiante e um pensamento positivo para ser um empreendedor de sucesso. De fato, grande parte do que fazemos é psicológico, mas o teste de qualidade de um gestor se dá na sua capacidade de sustentar as suas escolhas, mesmo que o futuro pareça incerto.


Quando iniciamos um projeto novo, introduzimos um produto diferente no mercado, apostamos em uma tecnologia recente, ou contratamos alguém sem a experiência necessária, andamos no escuro, guiados apenas pela nossa intuição e vontade de vencer. Os que possuem a habilidade de saber investir no que terá sucesso são sérios candidatos ao sucesso, pois têm a sensibilidade de saber qual ideia será fixada nas tendências de consumo por décadas.


Alguns nascem com essa habilidade, outros desenvolvem-na. Não sei dizer em qual desses grupos eu me enquadro, afinal, fui praticamente moldado, desde a minha adolescência, para o trabalho em empresas. Porém, sem dúvidas, os projetos os quais estou envolvido, fora da minha atuação na Rodovico Transportes, são excelentes oportunidades para eu tornar um hábito o ato de liderar e empreender.


Nos dias 13 e 14 de novembro, representei (na minha função de presidente) a Associação de Skate de Cascavel (ACSKT) na primeira fase do Campeonato Paranaense de Skate Park amador. A disputa contou com a participação de 176 atletas, de 7 a 40 anos, divididos em 4 categorias: mirim (até 13 anos), iniciante (17 anos), amador e master (35 anos). Os 3 finalistas de cada faixa-etária, além do pódio, conquistaram a autorização para participar do Campeonato Brasileiro de Skate, que aconteceu entre os dias 18 e 19 de dezembro no município de Lauro Freitas na Bahia.


Ter a oportunidade de misturar a minha paixão de infância com as minhas habilidades de gestor foi um sonho realizado. Quando começamos, eu e os meus colegas da ACSKT, da minha loja de artigos esportivos, a Impar Skateshop, não fazíamos ideia de que conseguiríamos um bom resultado, o patrocínio das Loterias Caixa e a homologação junto à Confederação Brasileira de Skate (CBSK). Contudo, tínhamos a paixão e o apoio de pessoas extremamente comprometidas e qualificadas para alcançar essas metas. E isso, na minha opinião, é o que basta para iniciar qualquer mudança.


No fim do dia 14, que inclusive celebrou o aniversário de 70 anos da cidade de Cascavel, alcançamos todas as metas que estabelecemos no começo do planejamento. E isso não é fruto do acaso. Desde 2017, atuo na realização de campeonatos de skate no oeste do Paraná. Anualmente, estruturamos, em 21 de julho, o GoSkateDay e, em 2019, revitalizamos a quadra do Parque Verde, localizada ao lado da Secretaria de Esportes de Cascavel, onde deixamos pronta e disponível uma estrutura pública de street skate, e para a inauguração preparamos um campeonato amador.


Porém, em 2021, avançamos de uma maneira inesperada. No segundo semestre, conseguimos a liberação da verba de R$ 42 mil, solicitada via chamamento público no município para financiarmos os gastos com a equipe de 8 atletas (4 meninos e 4 meninas) que representou a Associação e a cidade de Cascavel no Campeonato Paranaense.


Graças aos esforços da Secretaria de Cultura e Esportes de Cascavel (Secesp), inserimos o skate entre as modalidades esportivas para captação de verba do município e levamos a Bárbara Dissenha, a Vitória Pereira, a Paola Silveira, a Laís Morinigo Zaro, o João Ricardo, o Itacir Miola Junior, o Álvaro Alex Pereira e meu filho, Cauê Reis, para exibirem os resultados das suas horas de treinos a um público de mais 2 mil pessoas no estádio Ciro Nardi.


A sustentabilidade esteve presente durante todo o Campeonato, e nesse sentido, foi a minha experiência como gestor que me ajudou. O fato de o mundo corporativo estar cada vez mais inteirado a respeito da importância de diminuirmos os efeitos nocivos das nossas atividades no meio ambiente me fez ter, imediatamente, a ideia de incluir lixos recicláveis no local. E para trazer conforto aos competidores e ao público, construímos espaços de fisioterapia e uma tenda de artes e tatuagem.


Tudo funcionou como imaginamos. Desde a primeira conversa que tivemos com o prefeito de Cascavel, Leonaldo Paranhos, e com o Gerente de Esportes da cidade, o Júlio César Raizel, já pensamos em, mais do que um evento, fazermos uma reunião histórica. Juntamos em um lugar só esportistas de todo o estado, distribuímos mais de 400 marmitas e pedaços de pizza, disponibilizamos água à vontade, e montamos um alojamento ao vivo para 75 pessoas.


E ainda em 2021, conseguimos junto ao Deputado Marcio Pacheco a aprovação de uma verba de R$ 200 mil para construção de um bowl, pista de skate no formato de piscina conhecida por ter sido a primeira modalidade de skate, praticada na Califórnia. Como parte dessa obra, teremos, em 2022, a extensão da pista Cascavel Skate Park Donato Ramos, inaugurada em 2020 no Ciro Nardi e cujo nome homenageia o pai do Gugu e Wagner, pioneiros do skate em Cascavel.


Próximos passos


Não vejo a hora de organizar outro evento desses e tenho certeza de que estarei lá novamente com o suporte dos meus colegas da Impar Skate Shop e da ACSKT, assim como os representantes públicos de Cascavel. Mais uma vez, não tenho palavras para expressar a vocês a minha gratidão pelo apoio ao meu sonho. E aos demais leitores, convido-os a seguirem a minha página e a da ACSKT no Instagram para saberem mais sobre os resultados do Paranaense e os demais projetos que virão.


Como o nome da loja a qual sou sócio já indica, vivemos um momento impar no skate brasileiro. Participamos das olimpíadas, ganhamos medalhas, conseguimos o direito de profissionalização dos praticantes e mudamos significativamente a visão estereotipada da população acerca do nosso esporte. Construímos uma base sólida de popularidade que, agora, resta a nós e às próximas gerações cultivar.


Diego Nazari, Diretor de desenvolvimento de negócios da Rodovico Transportes

0 comentário