top of page

Como a TransJordano utiliza automatização de processos e EDI´s para aprimorar seus serviços



O setor de transportes tem utilizado, cada vez mais, tecnologia para auxiliar o desenvolvimento de seus processos. O que antes era considerado uma grande novidade, já não é mais e agora, as empresas buscam cada vez mais diferentes tecnologias para de destacar no mercado e trazer um diferencial competitivo para seus parceiros e também profissionais.


Neste contexto, a TransJordano iniciou no ano passado, o seu momento 4.0, ligado muito mais a tecnologia e ao desenvolvimento humano, que visam sempre a melhoria de nossos processos. A partir daí, começamos a investir de forma mais adequada no uso da automatização (robôs) para realização de tarefas repetitivas de maneira mais eficiente, e na utilização da tecnologia EDI (Eletronic Data Interchange) para integração de arquivos entre nossos sistemas e de nossos clientes, gerando mais eficiência, redução de erros e melhora nos tempos de resposta.


E é justamente sobre os EDI´s que quero falar neste artigo, por isso, convidei Marcelo Marques, Gerente de TI da TransJordano, para abordarmos como implementamos essa tecnologia dentro da empresa e quais tem sido os pontos positivos na utilização dessa ferramenta.


Para quem não conhece, os EDI´s (Eletronic Data Interchange) são uma tecnologia que possui o objetivo de padronizar e otimizar a comunicação entre sistemas de informação variados, independentemente de quem os desenvolveu. No TRC, os EDI´s podem ser usados por operadores logísticos, armazéns, transportadoras, indústrias, entre outras, com a ideia de aumentar a qualidade da comunicação, tornando mais ágil, mais confiável e ainda reduzir os custos relacionados a esses processos, e é justamente isso que estamos fazendo dentro da TransJordano.


De acordo com Marcelo, “com a utilização de EDI´s trouxemos uma agilidade muito grande na comunicação com nossos parceiros, melhorando assim o nosso tempo de resposta. Além disso, nos trouxe uma melhora na produtividade, redução de custos e também estão nos auxiliando na redução de erros e principalmente, aprimorando a segurança nessa troca de informações”.


Essas questões abordadas pelo nosso Gerente de TI, foram nossas motivações essenciais para o desenvolvimento da TransJordano 4.0 e além dessa tecnologia, adicionamos diversas outras que estão nos beneficiando e alterando a forma e qualidade como desenvolvemos os nossos processos. As principais delas, segundo Marcelo, são:


- Sistema de torre de controle: Que em conjunto com outros sistemas, integra o core da empresa e nos deu muito mais agilidade e confiabilidade em nosso transporte;


- RPA (Robotic Process Automation): Processo de robotização para automação de processos;


- Aplicativo para motoristas: Implementamos para melhorar a comunicação com nosso motorista, estreitando a distância entre o corporativo e o nosso profissional.


- Inteligência artificial: Para analisar imagens de nossos caminhões, dando muito mais segurança ao nosso transporte;


- Uso de dados para suporte a operação: Intensificamos o uso do Power Bi como ferramenta de gestão, trazendo muito mais agilidade na tomada de decisões.


- Chatbot: Estamos usando este recurso para automatizar a comunicação e dar muito mais agilidade em alguns processos, como seleção de profissionais e envio de documentos para o nosso motorista.


Todas essas tecnologias e ferramentas têm sido implementadas através de uma medição de diversos fatores, como a análise dos benefícios, retorno de investimento e eficácia da tecnologia, para que o gasto com a implementação da ferramenta, seja visto e aproveitado pela empresa como um investimento, que dará retorno à curto, médio ou longo prazos.


Por fim, destaco que os EDI´s são hoje, fundamentais para a evolução entre a nossa comunicação com parceiros, clientes e colaboradores e não apenas essa, mas as demais ferramentas têm trazido um ganho extremamente positivo e vantajoso para nós. Isso só tem sido possível graças ao comprometimento da equipe de entender, se aperfeiçoar e utilizar as ferramentas da melhor maneira possível.


Joyce Bessa, Head de gestão estratégica, finanças e pessoas na TransJordano

0 comentário

Comments


bottom of page