Dia Internacional da Igualdade Feminina: como chegaremos lá?

Ao longo da minha jornada nas mídias sociais, trabalhei em dois artigos sobre mulheres, igualdade e equidade. Em cada um deles, trouxe dados, contestações e um desejo enorme de abrir esse assunto para o máximo de pessoas possíveis. E hoje, no dia Internacional da Igualdade da Mulher, trago minhas inquietações em fontes, palavras e ações.


Segundo dados de um estudo feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) de 2018, aponta que as mulheres brasileiras ganham cerca de 20,5% a menos que os homens.

Primeiro, quero destacar que o fato de ser mulher numa profissão predominantemente dominada por homens, é um desafio e tanto. Reafirmar todos os dias minhas competências, meus talentos e dons, são uma constante que no mundo ideal, não seria necessário.


Os dados acima, são uma agulha num palheiro gigantesco e complexo, com muitas segmentações e segregações. Poderia citar aqui, a jornada dupla das mulheres, o congresso, e tantos outros lugares que não valorizam o trabalho de uma mulher, justamente por ser mulher.


Então, no dia de hoje, os convido a uma longa reflexão sobre trabalho, colaboração e aliados. Precisamos de muitas pessoas, de muitas mulheres, para que a desigualdade diminua. Na verdade, não exista mais. Precisamos de políticas efetivas dentro e fora das empresas. Precisamos de você, de vocês.


Um grande dia para nós. Um grande ano. Uma grande vida.



Rafaela Cozar, Diretora de Gestão e Inovação da Roda Brasil Logística

0 comentário