Diferentes de gerações: o que é preciso para liderá-las?

Atualizado: 1 de Set de 2020

De acordo com um estudo das consultorias ASTD Workforce Development e VitalSmarts, administrar conflitos de forma adequada é um dos grandes desafios dos gestores atualmente. Além disso, dos 1.348 profissionais pesquisados, cerca de 450 afirmaram que a empresa gasta 5 horas ou mais, por semana, para gerenciar conflitos entre as gerações, resultando em uma perda de 12% da produtividade da equipe.

No mundo corporativo atual é essencial que os gestores se esforcem para manter as diferentes gerações alinhadas com os compromissos da empresa. Ainda segundo a pesquisa, 54,43% dos entrevistados afirmaram que trabalham em empresas com funcionários de pelo menos três gerações.

Para melhor gestão dessas diferentes formas de se planejar, trabalhar e expressar é preciso que o gestor entenda as características de cada uma das gerações que estão presentes na empresa e saiba como cada uma delas responde a sua liderança. Por isso, separei algumas características dessas diferentes gerações que coexistem no mercado de trabalho atualmente:

Baby Boomers (nascidos de 1945 a 1960) - Entre 60 e 75 anos Acreditam no conhecimento, principalmente, através da prática. Buscam por meio do forte vínculo, uma carreira linear, estruturada e duradoura, sem necessariamente uma grande ambição e sonho de carreira.

Geração X (nascidos de 1961 a 1980) - Entre 41 e 55 anos Os profissionais dessa geração apreciam estabilidade e são profissionais comprometidos e consistentes em suas ações. Esperam mais reconhecimento profissional, são ativos, dinâmicos e pensam em empreender.

Geração Y (nascidos entre 1981 e 2000) - Entre 20 e 40 anos Diferentemente da geração X, os Millennials, como também são chamados, não precisaram ser treinados para colocar em prática a tecnologia no seu dia a dia e já entram no mercado de trabalho com essa realidade. Fazem questão de saber o propósito da organização, para identificar semelhanças e desenvolver seu trabalho.

Geração Z (nascidos a partir de 2001) – 19 anos A parte mais velha da geração Z está entrando no mercado de trabalho agora, portanto, muito ainda precisa ser defindido com relação a suas características no ambiente profissional. Porém, o que se sabe até o momento é que são pragmáticos, buscam satisfazer suas necessidades financeiras e enriquecimento pessoal. Quebram e contestam vigorosamente todos os estereótipos e não ligam para definições de gênero, idade ou classe.

O desenvolvimento e autonomia de cada geração pode ser diferente, porém, quando a empresa cria uma cultura favorável, onde todos os grupos possam se expressar e se adequar, visando melhor produtividade nas atividades, esse choque de gerações se torna benéfico. Isso porque, a mescla adequada de experiência e juventude é favorável para a empresa, e o grande fator que pode unir esses dois aspectos é justamente a implementação de uma cultura positiva.

Na TransJordano também utilizamos os indicadores para engajar os diferentes profissionais. Assim, cada um deles saberá o que e como deve fazer para atingir o seu melhor resultado. Visão e propósito são palavras chave.

Para gerir as diferentes gerações em prol de um mesmo objetivo será fundamental mesclá-las de forma inteligente, desenvolver reuniões que deêm espaço de fala para os diferentes grupos, estimular o aprendizado mútuo e manter sua equipe sempre motivada. Fazer uma boa gestão com essas diferentes características não é uma simples tarefa. Porém, quando a empresa coloca seus profissionais em posições favoráveis para isso e estabelece uma cultura positiva, o sucesso acontece. 



Joyce Bessa, Diretora Administrativa e Financeira da TransJordano

0 comentário

© 2023 por Equipe de TI do IT.