top of page

Estratégias para contratação e retenção de motoristas devem ser prioridade nas transportadoras, defende executiva

De acordo com pesquisa, sete em cada 10 motoristas não se veem mais na profissão no futuro


Foto: Banco de imagens/Canva


Uma pesquisa recente realizada pelo Clube da Estrada revelou que a visão dos motoristas sobre sua profissão está passando por mudanças significativas: 71% dos participantes revelaram não se verem mais na mesma carreira daqui a uma década. Esse percentual mostra a grande dificuldade que a profissão ainda enfrenta, e alguns dos pilares citados na pesquisa incluem a falta de segurança e pontos de paradas como áreas de melhoria para os profissionais.


Diante desse cenário, as transportadoras enfrentam desafios na contratação e na retenção de profissionais em suas empresas, especialmente à medida que se aproximam as festividades de final de ano. O período apresenta aumento significativo na demanda e, portanto, exige uma estratégia sólida para gerir as operações, necessitando muitas vezes de novas contratações de motoristas, o que acaba se tornando uma tarefa difícil devido à escassez de atratividade da profissão.


Gislaine Zorzin, diretora administrativa da Zorzin Logística, enfatiza a importância da reinvenção por parte das transportadoras para atrair e reter profissionais qualificados. Isso inclui oferecer oportunidades de crescimento, salários competitivos, garantir que os equipamentos estejam em ótimo estado e reconhecer o valor desses profissionais.


Segundo a executiva, “oferecer oportunidades é o primeiro passo para que os motoristas se identifiquem novamente com a profissão e se sintam motivados a continuar nela. Salários justos, equipamentos bem mantidos e reconhecimento também devem ser parte desse pacote. Precisamos ouvir e atender às necessidades específicas desses profissionais da melhor forma possível”.

No entanto, a empresa enfrenta desafios pontuais na contratação de mão de obra especializada, especialmente de mulheres, devido aos requisitos do curso de Movimentação e Operação de Produtos Perigosos (MOPP) para operações com produtos químicos, uma das áreas de atuação da Zorzin Logística.


Gislaine também comenta: “É um grande desejo nosso aumentar a presença feminina em nossas operações. Apesar de termos muitas vagas abertas para contratação, não estamos recebendo tantos currículos quanto gostaríamos para preencher essas posições. Portanto, estamos selecionando entre os candidatos disponíveis e nos concentrando principalmente em oferecer benefícios e oportunidades de carreira para essas profissionais dentro da nossa empresa”.


Olhando para o futuro, fica evidente que a profissão de motorista no transporte rodoviário de cargas está passando por uma transformação devido ao avanço das tecnologias. As habilidades exigidas também estão se transformando conforme o transporte recebe novas tecnologias no mercado, como a tecnologia embarcada nos veículos e a perspectiva de caminhões autônomos, o que requer uma mão de obra qualificada e conhecimento por parte dos profissionais que irão operá-los.


“Oferecer a capacitação para os motoristas é fundamental para acompanhar essas mudanças tecnológicas e para obter uma mão de obra cada vez mais diferenciada e que atenda a essas novas necessidades. A pessoa que se especializa não se preparar somente para uma transportadora específica, mas sim para o mercado”.


Gislaine Zorzin, diretora administrativa da Zorzin Logística.


0 comentário

Comments


bottom of page