top of page

Mindfulness: O que é e a importância para o ambiente corporativo


Recentemente, tenho trazido para minha rede alguns artigos compartilhados com pessoas que admiro e respeito no âmbito pessoal e profissional. Dessa vez, decidi ir além, e chamei uma das minhas maiores inspirações de vida: Minha Mãe, Cândida Bessa. Ela foi e ainda é fundamental para o desenvolvimento e sucesso das atividades da TransJordano ao longo dos anos. Além de ter sido um apoio importante para o meu pai, ela teve atuação estratégica ao longo dos anos e acompanhou de perto o crescimento da nossa empresa.

Depois de tantos anos se dedicando a empresa, minha Mãe podia simplesmente se afastar e descansar merecidamente, porém a algum tempo atrás, ela fez uma mudança de vida, passando por um problema de saúde e mergulhando na área do autoconhecimento. Posteriormente, se formou em coach e vem desde lá atuando dessa forma na TransJordano, o que tem sido muito benéfico especialmente para as mulheres que tem feito esse trabalho.


Mas ela não parou no tempo, e agora ela está fazendo um curso na USP de instrutora de Mindfulnees, para continuar inspirando e auxiliando outras pessoas e esse é justamente o tema deste artigo.

A abordagem mindfulness também é conhecida como atenção plena, e basicamente é uma proposta que busca obter e manter o controle total sobre a mente. Por meio dos exercícios específicos, o praticante consegue permanecer focado no presente de forma ampla, sem distrações ou julgamentos sobre o cenário e com o desenvolvimento do hábito, é possível tornar o cérebro consciente sobre o próprio potencial.

Minha mãe já praticava a meditação, mas na pandemia, conheceu o Mindfulness. “Já nas primeiras semanas, notei uma melhora no foco, concentração e fiquei tão maravilhada com o que a meditação pode fazer na minha vida, que resolvi adotar como um estilo de vida, aprofundar o conhecimento e passar para as pessoas”.

Foi então, que começamos a pensar sobre o impacto dessa prática no trabalho de maneira geral e como poderíamos implementá-la na TransJordano. O Mindfulness traz inúmeras vantagens para as empresas. Afinal, essa técnica oferece muitos benefícios aos colaboradores, que conseguem, por meio dela, reconhecer em si mesmos boas qualidades. Esse progresso no autoconhecimento reflete automaticamente nas rotinas de trabalho e trazem ganhos para ambas as partes.

Os principais ganhos do mindfulness para quem o pratica são os seguintes: mente mais calma; maior concentração na execução das tarefas; redução dos quadros de ansiedade e estresse; aumento da criatividade; emoções positivas mais evidentes; ampliação da capacidade de raciocinar se os pensamentos são juízos de valor ou meros julgamentos; melhoria do desempenho cerebral; aperfeiçoamento contínuo no bem-estar e na qualidade de vida.

“Esta técnica que é baseada em meditação, ajuda as pessoas a terem mais qualidade de vida e a se entenderem melhor, em vez de ficarem presos a pensamentos negativos e nocivos. Por meio do treinamento, conquistamos uma habilidade de atenção e concentração, com isso aumentamos nossa capacidade de melhores escolhas, pois podemos criar uma pausa e observar o que realmente queremos fazer, agindo com mais sabedoria, ficamos mais satisfeitos com nossas escolhas, aumentamos a autoestima. Enfim tudo se resume numa vida mais feliz”, adiciona Cândida.

Então, visando passar um pouco desse conhecimento e apresentar os benefícios da prática para a empresa de uma maneira geral, minha mãe iniciou um processo de conversas sobre a meditação mindfulness dentro da TransJordano. Com conversas semanais sobre a prática, queremos levar os benefícios também para nossa população interna.

“Entendemos que introduzir um pouco das técnicas Mindfulness para nossos colaboradores seria essencial também para aumentarmos a qualidade de vida dos nossos colaboradores e consequentemente, aprimorar nossos serviços. Essa prática tem sido utilizada por grandes empresas como Google, Facebook, Vivo e outras, então, atuarmos dessa forma quer dizer que estamos alinhados com práticas do mercado”, finaliza.

Joyce Bessa, Head de gestão estratégica, finanças e pessoas na TransJordano.

0 comentário

Comments


bottom of page