Mulheres no Transporte: quem são as gestoras que mantém o trabalho em dia?


Muitas pesquisas apontam um número inferior em relação à presença feminina no setor de transporte e logística. Atualmente, o segmento tem cerca de 2,2 milhões de profissionais, sendo 17% do sexo feminino, e 7% em cargos de chefia, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


Entretanto, com muito empenho em seu trabalho, as mulheres abrem seu espaço em mercados tradicionalmente dominados por homens. Em termos históricos, começaram a atuar no segmento de transporte e logística a partir da segunda metade dos anos 90, quando as funções deixaram de ser apenas operacionais e passaram a ser táticas e estratégicas.


Com isso, vários paradigmas foram quebrados em termos de resultados. Isso aconteceu devido aos grandes êxitos de planejamento, mostrando sua alta capacidade nos detalhes, e na facilidade dos trabalhos em equipe e com humanização das relações. Em suas empresas, elas atuam em diversas frentes, agregando e inovando o trabalho, com foco sempre voltado à multitarefa. Os exemplos que temos das mulheres que estão à frente do setor tem sido fundamentais para dissolver cada vez mais essa cultura e incentivar mais e mais mulheres.  


A partir disso, devemos manter nosso foco sempre no melhor resultado. Em tudo que podemos oferecer à nossa empresa, aos nossos funcionários. Temos a dedicação e a força necessárias para mover cada mundo particular. Agarrando-nos aos números, segundo uma pesquisa feita pelo Índice de Igualdade de Gênero (GEI, de Bloomberg Gender-Equality Index) de 2020, dias melhores estão por vir: das 325 empresas pesquisadas, 39% tem metas públicas para aumentar a liderança feminina. 

Seguiremos enfim, juntas e numerosas.

Rafaela Cozar, Diretora de Gestão e Inovação da Roda Brasil Logística

0 comentário