Por que o TRC é tão importante para a economia brasileira?


Se anteriormente havia alguma dúvida quanto à importância do transporte rodoviário de cargas (TRC), durante a pandemia do novo coronavírus ficou ainda mais evidente a necessidade deste setor dentro da sociedade. Acredito que os dados falam por si: o setor de transportes, armazenagem e serviços acessórios foram responsáveis por movimentar cerca de 480 bilhões de reais no ano anterior, representando 6,4% do PIB, segundo dados do SETCESP (Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas de São Paulo e Região).

Deste modo, diante das proporções continentais do nosso território e da falta de outros modais, tenho observado como o TRC é fundamental para o Brasil. Aproximadamente 60% de todas as mercadorias movimentadas no país circulam através de transporte rodoviário, o nosso território tem mais de 1.700.00 km de estradas por onde escoam essas cargas, impactando diretamente na economia.

Além do mais, é possível perceber que este modal apresenta diversas vantagens para o transporte de cargas. Dentre elas, gostaria de destacar a agilidade na entrega de cargas fracionadas ou de curtas distâncias e a facilidade na contratação de empresas, já que no Brasil a oferta de transportadoras é muito grande, de modo que as entregas podem sair direto do fabricante para o cliente.

Mesmo com um cenário de crise, o Ministério da Economia estima que o PIB brasileiro crescerá em 3,6% neste ano. Não podemos desconsiderar um crescimento desta proporção, principalmente no período complicado e cheio de desafios que estamos vivendo. Porém, gostaria de ressaltar que qualquer crescimento no Produto Interno Bruto refletirá no transporte, uma vez que o segmento movimenta mais da metade de todos os produtos que circulam no país. Isto me leva a ponderar as necessidades de equipamentos e infraestrutura que o TRC demanda, para que o setor caminhe em harmonia com este crescimento.

Como citei anteriormente, venho acompanhando que os principais desafios enfrentados pelo segmento estão relacionados à infraestrutura, segurança, altos custos de aquisição de equipamentos – como caminhões – e contratação de motoristas. Hoje estamos vivendo o reflexo do período prolongado que o setor enfrentou sem investimentos, a precariedade de algumas rodovias acarreta no aumento dos custos do transporte, além de colocar em risco a segurança do motorista e da carga.

Por este motivo, reforço que é preciso dar mais atenção para o setor que tanto movimenta a economia brasileira. Além do mais, sem o transporte de cargas sequer teríamos acesso a alimentos ou medicamentos, fatores indispensáveis para a sobrevivência da sociedade como um todo.

Por fim, gostaria de terminar essa reflexão ressaltando que o transporte rodoviário de cargas vai muito além da dicotomia carga-motorista. Temos diversas outras áreas de atuação e processos que são imprescindíveis para a articulação do transporte de cargas, como o setor administrativo, operacional e fiscal. Para entendermos por que o transporte rodoviário de cargas é fundamental para a economia do nosso país, acredito que antes precisamos compreender as estruturas internas do TRC.

Gislaine Zorzin, Diretora Administrativa da Zorzin Logística

0 comentário