Procurando exemplos de liderança em uma crise?


Uma pesquisa desenvolvida em 2012 pela consultoria de desenvolvimento de liderança Zenger/Folkman apontou que líderes mulheres são tão eficazes quanto homens. No ano passado, essa pesquisa foi atualizada e os números são bem interessantes. A análise solicita que os profissionais avaliem a eficiência de seus líderes em competências diversas e desta vez, em 84% dos critérios as mulheres foram avaliadas como mais eficientes.


Ainda de acordo com a pesquisa, a capacidade de tomar iniciativas, investir no autodesenvolvimento e honestidade são as principais características dessas líderes.


Contextualizando para o momento atual, recentemente li uma matéria publicada pela Forbes analisando que alguns países com respostas diferenciadas ao coronavírus são liderados por mulheres.


A publicação destaca Taiwan, Islândia, Nova Zelândia, Finlândia, Dinamarca e Alemanha, todos comandados por mulheres e que tiveram bons resultados desde o início da pandemia. Dentre os fatos abordados pela matéria, a verdade, decisividade, tecnologia e amor são destacados como fatores essenciais para que as mulheres conseguissem liderar seu país de forma positiva mesmo diante das dificuldades que estamos vivendo.


A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, por exemplo, desde o início fez questão de deixar bem claro a todos os cidadãos de seu país, que o vírus era sério e que deveria ser levado a sério. Além disso, os testes começaram desde o início e a Alemanha se tornou exemplo de como tratar esse problema.


Outro ótimo exemplo é a primeira-ministra da Noruega, Erna Solberg, que teve a ideia inovadora de usar a televisão para conversar diretamente com seus jovens conterrâneos. Solberg realizou uma conferência de imprensa em que nenhum adulto era permitido. Ela respondeu às perguntas de crianças de todo o país, explicando por que não havia problema em sentir medo. Quantas outras inovações simples e humanas desencadeariam de mais lideranças femininas?


Acredito que esses exemplos demonstram como as mulheres podem fazer a diferença quando possuem cargos de liderança. Isso não quer dizer que os homens são menos capazes, mas que ambos os sexos podem e fazem bons trabalhos ao redor do mundo, seja em empresas, entidades de classe, organizações ou até países. E você, o que tem feito de diferente nesta crise?


Para quem se interessar, link do artigo completo da Forbes


Joyce Bessa, Diretora Administrativa e Financeira da TransJordano

0 comentário