Segurança no Transporte de Cargas: quais as principais preocupações e como podemos minimiza-las?



A segurança no transporte de cargas é um assunto prioritário, uma vez que os problemas afetam a produtividade da empresa, a qualidade do serviço e a integridade dos colaboradores. Com a atividade de movimentação de cargas, o controle deve ser preciso e rigoroso para que tudo corra bem. Com estradas cada vez mais congestionadas o número de acidentes é crescente no Brasil


Nas estradas, os imprevistos são muitos, e as consequências podem ser críticas para a performance na logística de uma empresa. Assim, cabe a elas buscarem novas formas de garantir a segurança das mercadorias, bem como a integridade física dos seus funcionários. Prevenir a incidência de erros ao manusear a carga e acidentes durante o percurso são os objetivos primordiais das empresas que atuam no setor.


Entre tantas soluções, iniciativas como investimento em inovação e automatização do controle e da comunicação, são exemplos capazes de aprimorar os processos e reduzir perdas e danos. Pensando nisso, creio que temos cinco passos essenciais para minimizar esses riscos. Entre eles, estão:


1. Mapeamento de riscos do processo

Muitas transportadoras optam por adotar planos para o gerenciamento de riscos. Dessa forma, é possível prever problemas e evitar maiores transtornos.


A aquisição de seguros de carga e gerenciamento de risco, por exemplo, é uma maneira de lidar com a possibilidade de roubo de mercadorias e transtornos causados por acidentes.


2. Realizar treinamentos periódicos para os motoristas

Os motoristas têm responsabilidade pela carga durante o transporte, portanto é preciso contar com profissionais bem capacitados. Uma das principais causas de acidentes atualmente é o uso indevido do celular enquanto dirigem.


Esse tipo de projeto tem o objetivo de alertar os motoristas para aspectos importantes do trabalho, em especial para a sua saúde e segurança e preservação da mercadoria transportada. É fundamental que os objetivos da empresa sejam compatíveis com as necessidades dos colaboradores.


3. Padronizar os processos de segurança

O fornecimento de equipamentos de proteção individual e a utilização de cinto de segurança são regras essenciais para a circulação nos galpões e ao conduzir os veículos. É importante, também, divulgar amplamente para que os colaboradores conheçam quais regras devem ser seguidas no ambiente de trabalho de cada cliente.


4. Adotar o monitoramento remoto da frota

Durante o trajeto, a melhor forma de garantir a segurança do veículo e da carga é por intermédio de sistemas de rastreamento da frota. Essa tecnologia pode ser via satélite ou via sinal GPS para monitorar a localização e o status em tempo real de cada caminhão. Além disso, hoje já podemos contar com soluções mais avançadas como telemetria, rotograma, câmeras de fadiga e de segurança, dentre outros.


Assim, o processo de movimentação de mercadorias torna-se mais seguro e as cargas chegam em perfeito estado no seu destino.


5. Programar manutenções preventivas

É recomendado que antes do início de cada viagem o motorista responsável e a equipe de manutenção realizem uma breve vistoria nos veículos. Esta checagem pode incluir verificar os níveis de óleo, freios, verificação dos itens de segurança e sistemas de sinalização. A falta de manutenção é um dos principais fatores de acidentes nas estradas.

0 comentário