Superando barreiras: a inserção do Transporte de Cargas nas Mídias Sociais


Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 79,9% dos brasileiros vivem em lares com acesso à internet, seja ela fixa ou móvel. Em média, o brasileiro passa 225 minutos por dia conectado às redes sociais, bem acima da média mundial, que é de 150 minutos. Outra pesquisa, feita pela GlobalWebIndex, o aponta o Facebook, o Youtube, o Instagram e o LinkedIn como as plataformas mais utilizadas do país.  

Dados tão expressivos nos mostram a importância que esse tipo de mídia deve ter no desenvolvimento de estratégias e até mesmo, na divulgação de empresas de todos os portes e segmentos, como plataforma de popularização de informações, conteúdos, dicas e inovações. 

Trazer o Transporte de Cargas para esse tipo de plataforma, é popularizar conhecimento. A ideia é aproveitar o poder da mídia social para fazer a diferença, criando uma plataforma baseada no efeito libélula, que justamente mostra como juntar o uso da mídia social com insights de psicologia do consumidor para alcançar um simples objetivo concreto, por exemplo, despertar o interesse do consumidor sobre como as roupas chegam nas lojas, como os mantimentos chegam aos mercados, e tudo mais. Trata-se de uma forma rápida, eficaz e poderosa de usar a mídia social para mudança de hábitos enraizados culturalmente, dando voz e visibilidade ao segmento.  Com isso, devemos ter em mente que nosso trabalho como usuários das redes e também influenciadores, é transformar o cotidiano de outras pessoas. É plantar ideias, provocar reflexões e atrair os mais diversos olhares para o nosso segmento. O Transporte de Cargas precisa de voz, e nós, como trabalhadores na área e produtores desse tipo de conteúdo, temos que emprestar nossas redes para que ele fale por nós.

Rafaela Cozar, Diretora de Gestão e Inovação da Roda Brasil Logística

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo