Homens, precisamos falar sobre o Novembro Azul


Sabia pouquíssimo sobre essa doença, e o quão negligenciada ela era. Então, decidi aprofundar-me em minhas pesquisas. Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de próstata é o tipo mais comum de câncer entre a população masculina, representando 29% dos diagnósticos da doença no país. A pesquisa ainda aponta uma estimativa para 65.840 novos casos dessa doença entre 2020 e 2022. Homens com mais de 55 anos e com excesso de peso, estão no grupo de risco.


Sobre este tema, o silêncio e o preconceito são um dos principais fatores. O câncer de próstata atinge uma área mais distante da uretra, demorando para causar obstrução, e quando causam, já estão em um estágio avançado. Os principais sintomas são sangramento na urina e obstrução urinária.


Entretanto, essas informações não os atingem com a precisão quem deveria. Poucos sabem sobre isso, para além do preconceito estabelecido por uma sociedade que por nada, crê que tudo fere a masculinidade alheia – mesmo se isso afetar a sua própria saúde, e encurtar seu tempo de vida. Estamos falando de um dos cânceres mais silenciosos, que está em segundo colocado na lista dos tumores malignos que mais matam.


Mas vocês sabem como surgiu o novembro azul?


Em minhas pesquisas, fui entender um pouco mais sobre a origem e encontrei que tudo começou em uma conversa de bar, na Austrália, em 2003, quando Travis Garone e Luke Slattery decidiram criar uma brincadeira para seus amigos, cujo objetivo era falar sobre a gravidade da doença e arrecadar fundos para uma campanha de prevenção.


Desde o início já foram arrecadados mais de 580 milhões de dólares para financiar projetos e pesquisas sobre saúde masculina e o mês foi escolhido por conta do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, comemorado no dia 17/11.


Qual o motivo da simbologia dessa data?


A regra criada para participar da brincadeira era deixar o bigode crescer e cobrar 10 dólares de cada participante. Pode parecer estranho para a cultura do Brasil, mas a movimentação deu o que falar. Os bigodões chamaram muita atenção e foram assunto nas rodas de conversas.


A repercussão foi tão boa que, no ano seguinte, eles inauguraram a Fundação Movember. Cujo nome veio da junção das palavras moustache (bigode) e november (novembro). Hoje, ela é feita em mais de 20 países, onde os homens são encorajados a deixarem seus bigodes crescerem e as mulheres vestirem a cor azul.


E aqui no Brasil? É só para fazer “par” com o Outubro Rosa?


A campanha chegou aqui em 2008, através da Sociedade Brasileira de Urologia em parceria com o Instituto Lado a Lado pela Vida. Foi um importante movimento para se falar sobre o tema, tão tabu e principalmente para promover e facilitar o acesso aos exames de diagnóstico da doença. Importante ressaltar que o exame também pode ser feito através do PSA (exame de sangue que avalia o marcador tumoral), e que outros exames podem ser solicitados para confirmar o diagnóstico, como exame de urina e ultrassonografia.


Muito mais que apenas a prevenção do Câncer de próstata, é a conscientização sobre a saúde do homem. Além do câncer, diabetes, infarto e colesterol alto são doenças que fazem parte da realidade masculina e que podem ser tratados.


O diagnóstico precoce aumenta as chances de cura. Por isso, se você tem mais de 45 anos, procure um médico, faça seus exames de rotina. As suas atitudes de hoje, farão o seu futuro. Cuide-se.


Deixo aqui, algumas das minhas principais fontes para a execução desse texto: Ministério da Saúde e Instituto Nacional do Câncer.


Rafaela Cozar, Diretora de Gestão e Inovação da Roda Brasil Logística

0 comentário