Hora de olhar para frente

Atualizado: 29 de Abr de 2020


Sem dúvidas, o coronavírus e a consequente crise que ele trouxe nos pegaram de surpresa, teremos um preço alto a pagar com desemprego, queda de faturamento e, segundo analistas, possivelmente uma recessão.


Apesar das dificuldades, percebo que muitas empresas estão fazendo sua parte, seja com doações, trabalhos de conscientização ou mantendo alguns serviços essenciais funcionando.


E é exatamente sobre isso que quero falar: é hora de olhar para frente. Não é resolutivo gastar nosso tempo julgando quem está certo ou errado política ou economicamente. É óbvio que decisões políticas e econômicas macro podem ser agentes facilitadores ou complicadores e que, sim, todos têm o direito de se manifestar. Mas o fato é que não controlamos essa parte do processo e, portanto, é ineficiente se concentrar nisso agora.


Mais do que isso: há uma grave crise para lidar e precisamos concentrar nossas energias nela.


É necessário nos reinventarmos e investirmos em soluções para a crise com aquilo que está ao nosso alcance. Apesar de ser um período difícil para as indústrias, comércios e serviços, especialistas destacam que a criatividade pode salvar os negócios. O momento também pode ser importante para buscarmos capacitação em áreas específicas.


Quando a situação melhorar – e ela vai melhorar em algum momento – os empresários e empreendedores que se planejaram de maneira estratégica estarão melhor posicionados, consequentemente sairão na frente e vão  ter a chance de se reerguer rapidamente. Mais do que nunca, é necessário avaliar o mercado, identificar oportunidades, cuidar das pessoas e, assim, manter o crescimento.


Toda crise gera novas necessidades e isso já está sendo transformado em novas demandas. Nossa missão é descobri-las com criatividade, inteligência e, a partir daí, estabelecer um bom plano de ação, com foco no que temos agora e nas oportunidades que poderão aparecer no mercado.

Seja proativo, crie tecnologias, inovações, melhores seus processos e otimizações que tragam redução de custos e façam os negócios pagarem a conta que o covid-19 vai deixar. O que temos que fazer é arregaçar as mangas e pensar estrategicamente, promovendo as mudanças que estão ao nosso alcance. Ficar olhando para trás e reclamando não vai mudar.


Não existe o “se” no mundo dos negócios. É tempo de olhar para o que temos em mãos e promover a mudança que precisamos. É tempo de olhar para frente e não apenas lidar com o problema, mas participar da solução e crescer com o problema.


Guilherme Juliani, CEO da Flash Courier

0 comentário

© 2023 por Equipe de TI do IT.